A Secretaria de Estado de Cultura (Secult) está selecionando cadastradores de beneficiários do auxílio emergencial voltado à classe artística contemplada pela Lei Aldir Blanc. A seleção está sendo feita pela Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (FADESP), através da página oficial, até a meia-noite desta quarta-feira, 12. O trabalho é realizado através de parceria com a Universidade Federal do Pará (UFPA).

Na página da seleção estão disponíveis o formulário de inscrição e a chamada que traz as regras para participação. Os interessados devem enviar o formulário preenchido e os comprovantes de RG, CPF e residência para o email bativasecult@fadesp.org.br com o título CHAMADA PROJETO BUSCA ATIVA-SECULT.

Após análise das inscrições, a FADESP divulgará a lista dos selecionados para o trabalho que terá duração de 30 dias iniciados ao final da capacitação a ser ministrada pela fundação em conjunto com a SECULT. A atividade será remunerada.

Entre as habilidades exigidas para participar da seleção estão experiência com inserção e manipulação de dados em planilha Excel, disponibilidade para viagem de campo com acesso aos territórios de povos e comunidades tradicionais e facilidade de comunicação e articulação com lideranças comunitárias para acessar os territórios tradicionais.

É exigido também facilidade para o desenvolvimento de entrevistas em plataformas virtuais e físicas (questionários impressos), manejo de plataforma/aplicativo em telefone celular, manejo de aparelho celular para efetivação de pequenos vídeos e gravação de áudios e iniciativa e capacidade de resolução de problemas simples.

É exigido ainda que o selecionado prime pela ética e respeito aos modos de vida dos povos e comunidades tradicionais, tenha capacidade de redigir relatório de dados simples e confidencialidade acerca de dados referentes aos/as entrevistados/as.

Trabalho – os cadastradores farão a busca ativa de produtores e produtoras de cultura (mestras, mestres, guardiãs, guardiões, fazedores e fazedoras da cultura em geral e Espaços Culturais), localizados em comunidades Quilombolas, Indígenas, Ribeirinhas e Extrativistas (certificadas ou não por instituições), que tiveram suas práticas culturais afetadas pelo isolamento causado pela Pandemia da COVID 19, no estado do Pará.