UFPA no combate ao Covid 19: clínica psicológica virtual é mantida para atendimento à população.

  • Post published:27/05/2020

A emergência do novo coronavírus tem afetado a humanidade de diferentes formas. Além das complicações na saúde física, vários são os efeitos psicológicos que também estão sendo gerados no contexto da pandemia. Sensações de estresse, angústia, medo e insegurança são apenas alguns exemplos. Pensando nisso, a Universidade Federal do Pará (UPFA) implementou a Clínica Psicológica Virtual, que oferecerá o serviço público de atendimento psicológico online, durante todo o período de isolamento social, para quem precisar receber acolhimento e orientações.

Para ter acesso ao serviço, os interessados podem entrar no site da Clínica Psicológica Virtual, escolher um dos profissionais indicados na página e solicitar o atendimento via contato telefônico, nos dias e horários indicados para cada profissional. No primeiro contato, será combinado com o(a) psicólogo(a) como o atendimento será realizado. Não haverá atendimento por mensagem ou e-mail.

A professora Ana Cleide Moreira, que integra a coordenação do projeto, destaca as particularidades dessa iniciativa: “Nosso atendimento é no âmbito da Psicologia das Emergências e Desastres. Em uma situação de pandemia, o trabalho do psicólogo é auxiliar o paciente a buscar estabilidade no enfrentamento de um contexto que é traumático, de ausência de normalidade. Então, é um trabalho de curto prazo e imediato, que não se confunde com uma psicoterapia de longo prazo. O serviço da Clínica também não é um plantão psicológico. A pessoa que tiver necessidade entrará em contato com o psicólogo da sua escolha, no dia e horários disponíveis no site. Além disso, o projeto tem a especificidade de dar atendimento a estudantes e seus familiares de comunidades tradicionais, indígenas e quilombolas, além da população em geral”.

O serviço é destinado à população do estado do Pará, trabalhadores e usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) que sejam maiores de 18 anos. Estudantes e membros de comunidades indígenas e quilombolas também serão assistidos por meio de atendimento do projeto de extensão “Saúde, Cidadania e Direitos Humanos: apoio a comunidades e estudantes indígenas e quilombolas”, ao qual a Clínica está vinculada.

A coordenadora do projeto de extensão, professora Eunice Guedes, que também faz parte da equipe de coordenação da Clínica, explica a importância desse atendimento: “A UFPA, em suas diferentes áreas, tem feito um trabalho de inclusão social, que dá acesso ao Ensino Superior a povos originários e tradicionais e populações em vulnerabilidade. Nosso projeto de extensão, há dois anos, a partir da demanda das associações que representam esses povos na universidade, vem oferecendo acolhimento aos nossos estudantes de maneira a buscar não só a inclusão como a permanência deles na universidade, auxiliando na garantia da saúde mental no enfrentamento de situações de preconceito, discriminação e racismo nos nossos espaços”.

Formam a Clínica, além dos membros do projeto de extensão, um coletivo de pesquisadores e psicólogos, vinculados ao Programa de Pós-Graduação em Psicologia (PPGP), do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) da UFPA. Integram a equipe, ainda, psicólogos que são estudantes de mestrado e doutorado do programa.

O reitor da UFPA, Emmanuel Zagury Tourinho, ressalta o papel inclusivo da iniciativa: “A UFPA busca sempre oferecer serviços amparados no conhecimento científico e acessíveis a todas as pessoas. O projeto da Clínica Psicológica Virtual está em sintonia com essa vocação e atende a população em demandas cada vez mais frequentes na área de saúde mental, fortalecendo a atuação da UFPA no enfrentamento da pandemia. A equipe é constituída por pesquisadores e profissionais experientes, o que garante a qualidade do atendimento”.

Os atendimentos da Clínica Psicológica Virtual são orientados pelas recomendações e normativas da Organização Mundial da Saúde, do Ministério da Saúde, do Conselho Federal de Psicologia e do Código de Ética do Psicólogo.

Fonte: Divulgação UFPA Coronavírus