APOIO FADESP: Todas as lives do projeto Jambulive estão disponíveis. São 68 atrações artísticas do Pará que se apresentaram em outubro e novembro.

APOIO FADESP: Todas as lives do projeto Jambulive estão disponíveis. São 68 atrações artísticas do Pará que se apresentaram em outubro e novembro.

As 68 lives com apresentações de cantores paraenses e de artes cênicas de artistas populares do Pará que fizeram parte “Jambu Festival” e “Conexões de Periferia” estão disponíveis no canal do youtube. A programação é o desfecho de projetos de extensão da Faculdade Comunicação da Universidade Federal do Pará-UFPA, que visam promover atividades direcionados à área cultural do Pará.

Os projetos foram financiados por emendas parlamentares do ex-deputado federal Zé Geraldo e do senador da República Paulo Rocha, ambos do PT. O recurso, gerenciado pela FADESP, custeou despesas com formações, bolsas acadêmicas, logística, aquisições de materiais e contratações de serviço de pessoa física e jurídica.

As atividades do projeto iniciaram em 2019, com a etapa de formação para profissionais da área cultural por meio de oficinas como “Economia Criativa”, ministrada por Lenildo Gomes, diretor do Centro Cultural Belchior (Fortaleza/CE); “Planejamento de Marketing Digital”, por Diólia Graziano, coordenadora do curso de Pós-Graduação em Gestão Cultural (SENAC/SP); “Assessoria de Comunicação e Gestão de carreiras na Música”, por Gustavo Aguiar, Sócio Proprietário da Urtiga Produções (PA) e “Construindo minha Marca nas Redes Sociais”, por Petterson Farias, social media que atua nas áreas de Planejamento e Produção de Conteúdos Digitais (PA).

Além dessas oficinas, o projeto também realizou, como contrapartida social, oficinas de teatro, dança urbana, fotografia e canto nas escolas públicas Camilo Salgado (Jurunas), Salesiano do Trabalho (Pedreira), Cidade de Emaús (Bengui), Olinda Veras Alves (Curuçá) e Nelson Rebelo (Marapanim).

A coordenadora do projeto, professora da UFPA e atual vice-diretora da Faculdade de Comunicação (FACOM), Regina Lima, explica que a formação buscou orientar os artistas sobre como gerenciar suas carreiras utilizando as ferramentas de comunicação. Com as ferramentas, eles podem alcançar a visibilidade que falta para alavancar a carreira, acredita.

Regina explica que, como projeto de extensão, o trabalho também beneficiou estudantes de graduação e pós-graduação em Comunicação, que participaram da primeira etapa das oficinas e agora com o processo de criação das peças virtuais que estão circulando nas redes sociais do evento.

Lives – O Jambulive é composto de lives que transmitidas às quintas, sextas e sábados de outubro e novembro deste ano. Cada dia teve três apresentações artísticas (do canto e das artes cênicas) no palco do Instituto de Ciências da Arte (ICA/UFPA), em Belém. A transmissão se deu pelo canal Jambulive, no youtube.

Os shows musicais tiveram a curadoria da cantora Alba Mariah, enquanto as apresentações cênicas estavam sob a batuta da Professora do ICA, Ana Flávia Mendes. As apresentações contemplram diversos gêneros artísticos.

Na música, por exemplo, foi possível acompanhar ritmos como carimbó, Música Popular Paraense, hip hop e reggae. Entre os artistas que se apresentaram estão Keila Gentil, Mariza Black, Sammliz, Gigi Furtado, Arthur Espíndola, Arthur Nogueira, Jeff Moraes, Pelé do Manifesto, MC Everton, Trio Manari e banda Cobra Venenosa.

Inicialmente, a proposta do festival era com apresentações presenciais dos artistas, mas a pandemia da Covid 19 exigiu que o formato fosse reformulado para o mundo virtual, com objetivo de amenizar os efeitos da crise no setor cultural. Regina aposta no sucesso da experiência e defende que mais iniciativas do tipo sejam contempladas com recursos de emendas parlamentares.

Acompanhe – Todas as apresentações do Jambulive estão no canal do Youtube e nas páginas do Facebook e do Instagram. Confira!

Deixe uma resposta

Solve : *
4 × 5 =