Lorena Filgueiras – com informações da UNIR

Na última quinta-feira, 8, a Universidade Federal de Rondônia – UNIR – completou 39 anos de existência. Para comemorar a data, a Instituição promoveu uma programação voltada ao debate sobre a importância das Instituições de Ensino Superior, do fomento à pesquisa. A reitora da UNIR, Marcele Pereira, abriu o evento on-line falando sobre a construção do futuro. O diretor executivo da FADESP, Roberto Ferraz Barreto, participou do webinar “Olhar para o futuro: fomento e apoio à Pesquisa, ao Ensino e à Extensão”. A mesa reuniu representantes de agências de fomento e de apoio de pelo menos quatro estados da região Norte: Paulo Haddad, presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa de Rondônia (Fapero); Manoel Fernandes Amaral Filho, superintendente adjunto da Suframa; Roberto Ferraz, presidente da fundação de Amparo à Pesquisa (FADESP), da Universidade Federal do Pará; e Ismar Bernardo Araújo, presidente da Fundação de Apoio à Ufac (Fundape). O debate foi mediado pelo professor Erasmo Moreira, do Departamento de Ciências Contábeis, da UNIR.  

Ferraz Barreto compartilhou um pouco de sua gestão e da visão de fazer Ciência e Tecnologia na Amazônia. “Quando se fala em desenvolvimento da Amazônia, é preciso que os povos da Amazônia tenham voz. Ouve-se falar muito no desenvolvimento da Amazônia, na bioeconomia, na floresta em pé; no que diz respeito à economia e seus produtos, quando é necessário valorizar os povos originais”. O diretor da FADESP falou da necessidade de empoderá-los, valorizando seus saberes ancestrais e respeitando suas relações. Roberto Ferraz Barreto expôs muitas das dificuldades enfrentadas, diante dos crescentes cortes nos orçamentos e verbas das IFES.

No começo da noite, às 19h, ocorreu a palestra “Universidade e Formação na Amazônia”, proferida pelo reitor da Universidade Federal do Pará, UFPA, professor Emmanuel Zagury Tourinho. A professora Marcele Pereira destacou que a presença do professor Tourinho fora importante para tratar do papel das instituições universitárias na Amazônia, mas também para resgatar a formação da UNIR, em particular, já que a UFPA foi uma das mais importantes instituições para o estabelecimento dos bases para a criação da Universidade Federal de Rondônia. “Para seguir construindo a nossa universidade, precisamos reconhecer e entender de onde viemos, e celebrar o que já foi realizado. A construção da nossa instituição é permanente, começou a quatro décadas e segue em frente”, comemora a reitora da UNIR.